ARQUITECTURAS – de Ricardo Amorim Pereira

Foto de Paulo Burnay

1.

Falta paz
Não apenas a ausência da guerra
Falta faz termos paz
Nada desejarmos ou querermos mudar
Falta nos seres algum “deixa para lá”
“Tudo bem”
“Não faz mal”
Ninguém pediu para nascer mas depois tudo nos é pouco
Quando o pouco do que não pedimos
Quando nada éramos
Nos devia bastar
Contentar
Se assim fosse
Se o pouco dado ao nada que corre para o nada fosse muito
Teríamos tudo
Tudo temos porque sim
Por Deus ou pelo destino
Só nos falta a lembrança do que somos e para onde iremos
Quando nada formos e não nos acharmos
Nem mesmo a reclamar  

♣♣♣

by Harshdeep Mmishra

2.

Somos colecionadores de lembranças
Ganhamos significado pelas lembranças
Conhecemos o mundo pelas lembranças
Passarei a ser seletivo nas lembranças
Viverei dias de tormento que serão o único instante bom
Serei triunfal num pormenor da derrota
Saborearei um grão de açúcar na comida detestável
Sou arquiteto da minha passagem

♣♣♣

3.

Tudo passa em marcha
Passam as estações
As marés
As modas
Os amores
Rochas sólidas são areia ao vento
Nada é eterno
Importa construir hoje a matéria a destruir amanhã
Mesmo os sonhos
Sem eles de que se formariam as desilusões
Sem desilusões como se alimentariam novos sonhos
Na vida todos somos equilibristas e corda segura
Em firmes ombros crescemos e prosperamos
Para também aqui se edificar plataforma de um crescimento alheio
O Universo é grande como grande é a nossa perseverança
Mais pequeno e nele não caberia o futuro do Homem
Brilhante como as estrelas
Vasto como o tempo
Insondável como o amor que nos move.

♦♦♦

Ricardo Amorim Pereira, Doutorando em Ciência Política, com interesse na área da ecologia política.

%d bloggers like this: