POEMAS DE José Luís Outono

Linha d´Água, by Mário Cesariny

TEMPESTADES A COBERTO DE OUSADIAS

rios de água cadente enclausuram olhares provocadores
… …
tempestades a coberto de ousadias
… …
filmes absurdos de diálogos silenciados
pelo sino da memória cansada
… …
desafios gotejantes emolduram
discursos correntes sem novidades
… …
a matemática prossegue a sua análise do ontem
depois do fracasso de amanhã ter esquecido o hoje
… …
talvez os códigos sejam a conta corrente
das lavagens continuadas
… …
ainda bem que há águas decorativas
como analgésico das ânsias questionadoras
… …
e o Sol continua imparável
nos volteios dos teoremas climatéricos

♣♠♣

ACASOS GRAMATICAIS

Escrevi à segunda pessoa do meu presente,
e recebi uma notificação da primeira pessoa do plural
com argumentos do futuro.
Pena que as gramáticas jovens
dialoguem do passado,
como um mar poluído.
Talvez tenha razão o velho escritor,
quando editar o livro que não queria escrever.

♣♣♣

RUÍDOS

O ruído habitual da caneta
irritava-me, naquela viagem pouco dimensionada
à folha acaso de papel.
Nos dias quentes, ousaste convidar-me
para uma dança insólita de separação de corpos
onde os poros respirassem melhor.
Num sorriso tédio do mais falso parágrafo,
lembro ainda o canteiro
do teu ombro,
estrofe vazia disfarçada com a nudez do teu olhar.
Passaram tantas metamorfoses de imagens sem cor,
no açúcar de chávenas programadas sem entrega,
nas leituras de livros onde recusaste escrever,
pequenas notas.
Hoje, apenas o ranger da porta do sol a nascer
enfatiza o único ruído,
que a minha mente ainda esboça
com a pouca tinta invisível,
que me deixaste na boca, em oferendas a teu gosto.
Na pedra de um mar silenciado pelas espumas odor,
poucos ecos restam da  leitura do teu acórdão.
Com uma simples deixa teatral sorriste:
– Foi apenas um momento quente…nada mais.

♦♦♦

♦♦♦

José Luís Outono nasceu em Lisboa ( 13/03/1951). Tem formação na área do Marketing e Gestão, Fotografia e Cinema. Foi Bolseiro em Roma – Itália, e estagiou na RAI .
Realizador, locutor, docente, fotógrafo, escritor e pintor. 
Editou cinco livros e participou em mais de uma dezena de livros colectivos, por entre exposições de fotografia e pintura.
Assume-se amante compulsivo das artes, e seu eterno aprendiz.

Deixe uma resposta