TEXTOS POÉTICOS DE FINEZA PINTO

“Lovers” by Picasso

O diálogo

Seus corpos dialogavam num diálogo incomum, que não se lê e não se entende, apenas se sente. Numa linguagem ausente de sinais e de palavras, onde as reticências traziam à baila o ponto do amor, que não era o final. Os seus corpos ora exclamavam ora interrogavam. Numa tentativa de antever o ritmo do amor, faziam dois pontos anunciando os passos que o momento sugeria e deixavam-se mover a passos dançantes, que só o amor sabia dar. A dança não era nem salsa nem valsa, era uma dança desprovida de movimentos próprios, cujos contornos só os pés que amam eram capazes de desenhar.

Imensidão

E lá estava ela a contemplar a imensidão do mar, enquanto segredava-lhe sonhos e desejos que a sua boca jamais pronunciara. Entre um segredo e outro, bebia um trago de inspiração, que, gentilmente, o mar lhe oferecera. Da sua alma foram brotando palavras, outrora, silenciadas, para dizer ao seu amor. E, enquanto aguardava pela sua chegada, foi deitando gotas de amor ao mar,como se de uma reserva se tratasse, pois o amor precisa de ser reabastecido. Agora, o mar se tornara seu cúmplice. E, diante dos seus olhos, seus corpos compenetravam-se, até se tornarem num só. Já não havia mais volta a dar, agora pertenciam um ao outro, pois as suas almas entranhavam-se uma na outra como os vários retalhos de uma colcha. E pensou – que felicidade! Agora somos uma só alma fragmentada em dois corpos…

♣♣♣

O clamor da minha alma

quando a noite deixar de ser uma criança
quando o serão estiver morto
quando a minha ausência entre vós se fizer sentir
quando a saudade dos tempos idos abalar a vossa memória
escutai o clamor da minha alma

quando a saudade habitar em vós
quando o silêncio se fizer sentir
quando estiverdes envolto de solidão
quando as lágrimas em vossos olhos mergulhar
escutai o clamor da minha alma

quando ouvirdes uma voz amiga pelas calçadas do mundo
quando a vossa consciência vos pedir para parar
quando estiverdes sós pelas calçadas do mundo
quando mergulhardes em mar de tristezas
escutai o clamor da minha alma

♦♦♦

Fineza Pinto Marimba nasceu na província de Luanda, capital de Angola. É mestre em Ciências da Linguagem (Linguística) pela Universidade Nova de Lisboa e em 2017 fez a parte curricular do doutoramento em Linguística ─ especialidade Psicolinguística ─, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da mesma Universidade. É bacharel em Ciências da Educação pela Universidade Agostinho Neto e graduada em Linguística Portuguesa pelo Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCEd- Huíla).

Atualmente, é consultora para informação e comunicação do Provedor de Justiça de Angola. Foi professora de Português e Chefe de Departamento de Educação Pré-escolar e Ensino Primário do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação.

Please follow and like us:
RSS20
Follow by Email0
Facebook0
RSS20
Follow by Email0
Facebook500