TRÊS POEMAS de António Pedro Ribeiro

ESTRELA SÓ

Sou uma estrela mas sinto-me só
pouco me adianta subir aos palcos
ser comentado aqui e ali
ter delírios e explosões
muito poucos me compreendem
muito poucos compreendem
a minha revolução
e agora estou ainda mais só
a um canto
a escrever as palavras Continuar a ler “TRÊS POEMAS de António Pedro Ribeiro”